sábado, 25 de março de 2017

Javascript - Function #001

A linguagem Javascript não tem classes,construtores e métodos, para galera que vem do java, javeiros assim como eu, podem assustar um pouco ao deparar com essa linguagem. Porém no javascript nós temos as funções que podem simular classes, construtores e métodos fazendo dessa linguagem um tanto quanto poderosa.


Javascript - Function #001
javascript functions

Neste post vamos descobrir um pouco sobre as funções, o que elas são, onde vivem e do que se alimentam hahaha.
O que é uma função?

Função é nada mais nada menos é um Objeto que contém um bloco de código executável.
Em javascript as funções são objetos de primeira classe , isto é, elas podem ter propriedades, métodos, podem ser passadas como parâmetros ou ser retornadas de uma outra função. Criando funções.
Há duas maneiras de se criar uma função:
  • function declaration
  • function expression
Function Declaration A function declaration consiste no uso da palavra function seguida pelo nome da função, parâmetros e o escopo onde é limitada entre as chaves {}. Segue o exemplo de uma function declaration welcome:
function welcome(nome) {
 return  “olá ” + nome + “! Seja bem vindo ao Javascript! :)”; 
};
Definimos a função welcome, porém só a definição da função não a executa, para executá-la devemos chamar a função da seguinte forma:
welcome(“deviscoming”); 
Como a função espera um parâmetro devemos informar entre os parênteses (); Para poder ver o resultado usaremos o método log do Objeto console para mostrar o resultado a chamada da função.
console.log(welcome(“deviscoming”));
resultado : Olá deviscoming! Seja bem vindo ao Javascript! :) Function Expression A function expression pode ser anônima, ou seja, podem ou não ter nomes. Segue o exemplo da function expression anônima:
var welcome  = function (nome) {
 return  “olá ” + nome + “! Seja bem vindo ao Javascript! :)”; 
};
Veja que a function expression é muito similar a function declaration, o que diferencia uma da outra é o nome da função e que a function expression é atribuída a uma variável. Mas uma function expression pode ser declarada também com um nome da função chamada de Named Function Expression :
var welcome  = function welcome (nome) {
 return  “olá ” + nome + “! Seja bem vindo ao Javascript! :)”; 
};
Mas e agora? Qual a diferença da Function Expression para a Named Function Expression? Usando a named function expression você consegue identificá-la em um debug para verificar seu stack trace. Para chamar a expression function devemos chamar pelo nome da variável que a function foi atribuída.
console.log(welcome(“deviscoming”));
resultado : Olá deviscoming! Seja bem vindo ao Javascript! :)
A pergunta que não quer calar, qual a diferença entre a Function declaration e a Function Expression? A function declaration é carregada antes do código sem interpretada, assim se eu chamar a função antes de declará-la funcionará normalmente.
console.log(welcome(“deviscoming”));
function welcome(nome) {
 return  “olá ” + nome + “! Seja bem vindo ao Javascript! :)”; 
};
resultado : Olá deviscoming! Seja bem vindo ao Javascript! :)
Já a Function expression é carregada no momento da interpretação do código, então nesse caso se ela for chamada antes da sua declaração você receberá um exception de resultado:
console.log(welcome(“deviscoming”));
var welcome = function welcome(nome) {
 return  “olá ” + nome + “! Seja bem vindo ao Javascript! :)”; 
};
resultado : TypeError : undefined is not a function….
Ou seja na function expression deve ser chamada somente após a sua declaração:
var welcome = function welcome(nome) {
 return  “olá ” + nome + “! Seja bem vindo ao Javascript! :)”; 
};
console.log(welcome(“deviscoming”));
resultado : Olá deviscoming! Seja bem vindo ao Javascript! :)
Sabendo dessas duas formas de criar uma função entendendo como cada uma funciona, cabe a você decidir qual das duas deverá usar, qual delas é mais legível para o seu entendimento. É isso ae pessoal, esse foi o primeiro post sobre funções javascript. para podermos entender um pouquinho desse universo do javascript. Fique de olho no blog , que logo teremos a continuação sobre as funções Javascript.


Um abraço, Cheers! 🍻

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Bloquear o Googlebot no seu site

Fala galera que acompanha o blog... 

Anteriormente eu expliquei o que é e como funciona o Googlebot. 
Nesse post, vamos aprender algumas forma de bloquear os bots no nosso site, seja para bloquear alguma página que não gostaríamos que fosse mapeada ou para um evitar o mapeamento de paginas privadas. 

Bloquear o Googlebot no seu site

Precisamos entender que é quase impossível manter um servidor da web em sigilo não publicando links para ele, como vimos a busca realizada por esses bots parte de um link base e a acessa a cada link que vai surgindo, realizando a indexação dos mesmos. 

Para impedir que o Googlebot rastreie o conteúdo do seu site, temos algumas formas de agir. Eu vou deixar o link que direciona para o conteúdo que a própria Google disponibiliza: 

De todas as opções a mais fácil com certeza é proteger com senha os seus diretórios, no entanto o uso do arquivo robots.txt, além de prevenir os bots, protegem que arquivos de imagens sejam exibidos nos resultados da Pesquisa Google. 

No entanto o uso de apenas um desses métodos não garante total segurança de que seu conteúdo não foi indexado e não será exibido nas buscas realizados no Google. É claro que o modo a ser utilizado, vai depender da sua necessidade. 
Fugindo um pouco do escopo de indexação e indo mais diretamente em segurança da informação, sempre utilize senhas nos diretórios que são privados. 

Como mencionado no site de suporte do Goole, embora o Googlebot e outros rastreadores da Web confiáveis sigam as instruções de um arquivo robots.txt, que funcionam apenas como diretivas, elas podem não ser seguidas por outros rastreadores mal intencionados, outro detalhe é que cada rastreador pode interpretar esses arquivos de maneira diferente. É importante saber a sintaxe apropriada para atender a diferentes rastreadores da Web, pois alguns podem não entender todas as instruções. 

O Google disponibiliza um link que se chama Search Console, nele existem diversas opções que auxiliam e muito o trabalho de webmaster, entre ela a poSsibilidade de verificar links quebrados, paginas indexadas, verificar se seu site está sendo indexado pelo Google, realizar buscas como se fosse o Google e diversas outras coisas, acesse o site e se divirta verificando detalhes que podem ser melhorados no seu site. 

É isso ai pessoal, espero ver o site de vocês no topo das buscas rs 
Até a próxima.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Googlebot e seu site

Fala galera que acompanha o blog... 

Se você ainda não conhecia o Googlebot e a relação dele com seu site, esse post é muito importante para aprender como o seu site é "mapeado" na internet por esse robozinho... 

Googlebot é o robô de rastreamento da Web do Google (também chamado de "indexador"). O rastreamento é o processo pelo qual o Googlebot descobre páginas novas e atualizadas para serem incluídas no índice do Google. 

Talvez o termo "indexador" não te remeta a nenhuma lembrança sobre assuntos relacionados que você já tenha lido, pois podem ser encontrados em outros termos como: web crawlersbots, web spiders, web robot ou web scutter. 


Googlebot e seu site

O mais comum é web crawler que em português significa rastreador web. O processo de rastreamento que um web crawler executa é chamado de web crawling ou spidering. Em particular os motores de busca, usam crawlers para manter uma base de dados atualizada, mas também podem ser utilizados para executar tarefas de manutenção automatizados em um site, como verificar links quebrados ou código HTML e até mesmo minerar endereços de email, normalmente utilizados para spam. 

Bom, todos os dias milhares de sites são criados e desativados na Internet, e como seria possível acompanhar toda essa movimentação? Como são definidos quais são os sites que ficarão no topo ao realizar uma busca? E principalmente como as buscas são feitas de forma tão rápida? 
Googlebot atua vasculhando a internet em 3 fases: 

Fase I - RastreamentoO rastreamento é o processo pelo qual o Googlebot descobre páginas novas e atualizadas para serem incluídas no índice do Google. Usa-se um grande conjunto de computadores para buscar (ou “rastrear”) bilhões de páginas na Web.
O processo de rastreamento do Google começa com uma lista de URLs de páginas da Web, gerada a partir de processos anteriores de rastreamento e aumentada com dados do sitemap fornecidos por webmasters. Conforme o Googlebot visita cada um desses sites, ele detecta os links de cada página e os inclui na lista de páginas a serem rastreadas. Novos sites, alterações em sites existentes e links inativos serão detectados e usados para atualizar o índice do Google.

O Google não aceita pagamento para rastrear um site com mais frequência e mantém a área de pesquisa de negócios separada dos serviços geradores de receita do Google AdWords.

Fase II - Indexação: Agora que o Googlebot já identificou os sites e recolheu as informações sobre eles, chegou a hora de ele processar estas informações. Na fase da indexação os sites anteriormente lidos são agora avaliados segundo uma série de critérios e testes que analizam o nível de SEO e o Googlebot decide então quais deles são os mais relevantes para cada keyword. É nessa fase que são decididos quais são os melhores sites e que eles são separados. Outra curiosidade interessante que é nessa fase também que o Googlebot realiza os testes de black hat no seu site. Se alguma irregularidade for encontrada no seu site ao invés de ele ser marcado como sendo um dos melhores ele é marcado com um site “ladrão” e é punido. Entre as punições podemos ter desde a perda de pontos que vão fazer o seu site cair no ranking até a desindexação onde o seu site é literalmente “expulso” do Google não aparecendo mais nos resultados de nenhuma pesquisa. 

Fase III - PublicaçãoQuando um usuário faz uma consulta, nossas máquinas pesquisam o índice de páginas correspondentes e retornam os resultados que acreditamos ser os mais relevantes para ele. A relevância é determinada por mais de 200 fatores, entre eles o PageRank de uma determinada página. O PageRank é a medida da importância de uma página com base nos links de entrada de outras páginas. Em outras palavras, cada link para uma página no seu site proveniente de outro site adiciona um PageRank ao seu site. Nem todos os links são iguais: o Google trabalha com afinco para melhorar a experiência do usuário, identificando links de spam e outras práticas que afetam negativamente os resultados da pesquisa. Os melhores tipos de links são aqueles retornados com base na qualidade do conteúdo.

Muito bacana não? 

Conforme informado no próprio site de suporte do Google, o acesso do Googlebot não deve ocorrer, em média, mais de uma vez no intervalo de poucos segundos. Um detalhe importante é acompanhar os seus registros  que podem mostrar visitas de diversas máquina no google.com.br, todas com o Googlebot user-agent. Caso seja necessário solicite  uma alteração na taxa de rastreamento nesse link aqui.

Ahh importante mencionar que não existe apenas o Googlebot, temos diversos outros robozinhos como: Yahoo! Slurp é o nome do crawler do Yahoo!, Msnbot é o nome do crawler do Bing – Microsoft, Methabot é um crawler com suporte a scripting escrito em C e vários outros. 

É isso ai pessoal, até a próxima!